Mensagem no WhatsApp sobre lombadas eletrônicas com infravermelho assusta motoristas

Publicado por Diego Machado em

Os motoristas de Curitiba se assustaram ao receber uma nova corrente compartilhada em grupos de WhatsApp. A mensagem que circula afirma que a prefeitura fez alterações em 30 lombadas eletrônicas da cidade, adotando uma nova tecnologia capaz de captar imagens de dentro dos veículos a partir de um sensor infravermelho.

No entanto, a Secretaria Municipal de Trânsito (Setran) desmente o rumor, dizendo que nenhum radar da cidade foi equipado com esse tipo de tecnologia. Segundo a pasta, a mudança que esses equipamentos tiveram foi uma atualização de tecnologia, já passaram a operar com câmeras digitais no lugar das analógicas.

O texto enviado pelo WhatsApp inclui a relação de todos os 30 pontos que estariam fazendo esse novo tipo de verificação. Eles estariam espalhados por bairros como Fazendinha, Santa Felicidade, Boqueirão, Mercês, Água Verde e Cajuru. A ideia, segundo a mensagem compartilhada, é identificar e multar motoristas que estejam usando o celular, dirigindo com apenas uma mão ao volante e até mesmo passageiros sem o cinto de segurança.

Contudo, embora todas essas ações sejam mesmo infrações de trânsito, os radares seguem apenas autuando infrações como excesso de velocidade, avançar o sinal vermelho e parada sobre a faixa de pedestres.

Nas últimas horas, boatos começaram a circular em redes sociais e aplicativos de mensagem dizendo que as lombadas eletrônicas de Curitiba passariam a multar os motoristas que estivessem sem cinto de segurança ou falando ao celular. São os mesmos boatos que circularam seis meses atrás e que são falsas.

A Superintendência de Trânsito de Curitiba esclarece que as lombadas eletrônicas da cidade tiveram uma atualização de tecnologia, que iniciou em janeiro e que agora opera com câmeras digitais, e não mais analógicas, o que proporciona um ganho de qualidade das imagens.

As lombadas eletrônicas detectam e identificam, apenas, aqueles veículos que trafegam acima da velocidade máxima permitida, de 40 km/h, o que, posteriormente, vira multa de trânsito. As multas por excesso de velocidade variam de infração média a gravíssima: até 20% a mais do que o limite estabelecido a infração é média (quatro pontos) e tem o valor de R$ 130,16; de 20% a 50% acima do limite permitido na via a infração é grave (cinco pontos), com valor de R$ 195,23; para velocidade superior a 50% do limite estabelecido, a infração é gravíssima (sete pontos), com valor de R$ 880,41, além da apreensão da carteira de habilitação e suspensão do direito de dirigir.

Multas por dirigir sem usar o cinto de segurança ou mexendo no aparelho celular são aplicadas por agentes ou policiais de trânsito. Existem duas resoluções do Conselho Nacional de Trânsito (Contran) que regulamentam multas por videomonitoramento, mas atualmente não há previsão desta modalidade ser implantada em Curitiba.

fonte: gazeta do povo


QUER APRENDER A FAZER UM RECURSO DE MULTA DE TRÂNSITO PASSO A PASSO?

Acesse o nosso E-book que ensina a formular um recurso de multa de trânsito do ABSOLUTO ZERO.

Talvez você também queira ver..


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *