Prefeituras arrecadam R$ 80,6 milhões em multas de trânsito

Publicado por Diego Machado em

Em tempos de crise econômica, prefeitos costumam reclamar da baixa arrecadação ao longo do ano. No entanto, quando o tema passa a ser multas de trânsito, os governos municipais do ABC não têm razão para queixas. Dos R$ 112 milhões previstos por seis cidades – com exceção de Rio Grande da Serra – com recursos vindos de infrações de motoristas, já foram agregados aos cofres públicos R$ 80,6 milhões, equivalentes a 72% do total projetado, segundo os portais da transparência dos municípios.

Proporcionalmente, Mauá é a cidade que está mais próxima de atingir e superar a estimativa em arrecadação de multas de trânsito em 2017: R$ 22,5 milhões. Até esta quinta-feira (21), o governo do prefeito Atila Jacomussi (PSB) já somou com infrações no tráfego um montante de R$ 21,3 milhões ao Fundo Municipal de Transporte e Trânsito, o que corresponde a 94,95% do previsto, faltando pouco mais de três meses para o encerramento do ano.

Segundo dados do Denatran (Departamento Nacional de Trânsito), Mauá registrou 209,1 mil veículos – de todas as categorias – em 2016. Esse número, porém, não impediu da cidade ter praticamente a mesma arrecadação de multas da vizinha Santo André, onde há mais de 507 mil automóveis e o valor de irregularidade de motoristas aos cofres do governo andreense também chegou a R$ 21,3 milhões.

Santo André, comandada pelo prefeito Paulo Serra (PSDB), tem a maior projeção de multas de trânsito no ABC em 2017, conforme dados do Portal da Transparência: R$ 35,7 milhões. A cidade destinou às suas finanças, até quarta-feira (20), o percentual de 59,87% da previsão na peça orçamentária. O governo andreense já confirmou que a mesma perspectiva financeira será constada no Orçamento 2018.

Em nota, a Prefeitura de Santo André informa que a quantia tirada de motoristas que transgredirem a legislação é aplicada conforme resolução 638/2016 do Contran (Conselho Nacional de Trânsito). As normas estabelecem investimentos direcionados às despesas públicas com sinalização, engenharia de tráfego e de campo, policiamento, fiscalização e educação de trânsito.

Sob gestão do prefeito Orlando Morando (PSDB), São Bernardo é a terceira cidade no ABC que mais arrecadou em multas de trânsito: R$ 18,6 milhões até segunda-feira (19). O valor é 80,88% do total de R$ 23 milhões previstos para este exercício, segundo o Portal Transparência. De acordo com o Denatran, o município contou no ano passado com 573,6 mil veículos.

O governo do prefeito de Diadema, Lauro Michels (PV), tem orçado R$ 15,5 milhões em multas de trânsito, mas teve retorno de R$ 8 milhões, equivalente a 51,97% da meta financeira. Pelos dados do Denatran, mais de 198,6 mil carros circulam pelas vias diademenses.

No comando da cidade com mais de 139,7 mil veículos, a gestão do prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PSDB), destinou aos cofres públicos R$ 8,9 milhões em penalidades de trânsito dentro dos R$ 11,5 milhões estimados para receita deste exercício, alcançando 77,29% da projeção.

Ribeirão Pires, administrada pelo prefeito Adler Kiko Teixeira (PSB), contou até o fim do ano passado com 65,6 mil automóveis e levantou ao longo de 2017, com dados atualizados nesta segunda-feira, R$ 2,3 milhões oriundos de transgressões de motoristas. A quantia corresponde a 62,28% dos R$ 3,7 milhões previstos, no Orçamento de 2017, ao Fundo Municipal de Trânsito e Multas em 2017.

Por sua vez, o Portal da Transparência do governo do prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão (PSDB), está desatualizado e, por essa razão, a reportagem não teve acesso aos valores obtidos por meio de multas de trânsito. A Secretaria de Comunicação foi questionada sobre a quantia estimada no Orçamento e o quanto foi arrecadado, mas a nota do Paço não contemplou as indagações. A cidade registrou 17,8 mil veículos.

fonte: Repórter Diário


QUER APRENDER 5 DICAS PARA USAR EM SEUS RECURSOS DE MULTAS DE TRÂNSITO?

baixe o nosso E-book GRATUITO clicando na imagem acima.

Talvez você também queira ver..